Mudança de hábito na alimentação exige atenção e acompanhamento profissional

As novas gerações estão transformando seus hábitos e ações, passando a apresentar um perfil mais consciente a respeito do impacto que o consumo gera ao meio ambiente, à economia e à sociedade. Nesse sentido, um movimento apresenta constante crescimento no Brasil e no mundo: o veganismo.

Diferente do vegetarianismo, que abrange apenas a alimentação ao excluir carnes, aves e frutos do mar de sua dieta, o veganismo é um estilo de vida. Além dos alimentos, os veganos não consomem quaisquer produtos que tenham algum elemento de origem animal, como cosméticos, itens de vestuário e acessórios.

O foco principal do veganismo está na questão ética, ao excluir a exploração e o sofrimento dos animais dos itens que usufruem. Entretanto, também se encontram nesse grupo pessoas que buscam por uma alimentação mais saudável e maior sustentabilidade ambiental.

As grandes marcas do ramo alimentício estão de olho nos números desse novo mercado – a estimativa do Ibope é que existam 30 milhões de vegetarianos no país – e estão começando a investir em alimentos baseados em plantas, como por exemplo hambúrgueres vegetais que simulam a textura e aparência da carne.

Nova dieta requer cuidados

Apesar da alimentação vegana ser em grande parte positiva, ela pode gerar problemas se feita sem o acompanhamento de um profissional. O motivo é que cada pessoa reage de uma forma às restrições alimentares e precisa-se estar de olho na substituição das fontes de proteínas e vitaminas na nova dieta.

O exemplo clássico está na vitamina B12, fundamental para o metabolismo do sistema nervoso e para a formação das células sanguíneas: ao retirar os itens de origem animal do cardápio, pode ser necessária uma suplementação da vitamina para o funcionamento correto do corpo; os níveis de cálcio e ferro também necessitam de atenção redobrada.

Para manter a saúde em dia, os veganos devem investir numa alimentação variada e combinar diferentes grupos de alimentos, como cereais, leguminosas, verduras, frutas e óleos. Se você ficou curioso e deseja experimentar esse movimento, um bom (e seguro) primeiro passo está em adotar a “segunda sem carne”, desafio que propõe esse dia da semana para testar um cardápio sem alimentos de origem animal.

Mas fique de olho! Ao decidir adotar o vegetarianismo ou veganismo como estilo de vida, busque sempre por um nutricionista ou nutrólogo. Cuide-se sempre.

054

Você também pode gostar de:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *