Doenças infantis comuns durante a primavera

Tempo de leitura: 4 minutos

A primavera precede os dias ensolarados de verão, é uma estação cheia de cores, flores e repleta de frutas típicas da época. Porém, para os pais a mesma também pode trazer sérias complicações em relação à saúde dos pequenos. A manifestação de alergias diversas se ocorre durante este período e, muitas vezes os pais ficam sem saber como cuidar da saúde dos filhos a fim de protegê-los e evitando o contágio das mesmas. Além das alergias, podem-se ser citadas várias doenças comuns a esta temporada. Elegemos as cinco mais comuns para te ajudar a saber como proceder diante de sua ocorrência.

Rinite alérgica

É bastante comum ver crianças apresentando crises alérgicas de rinite alérgica devido a propagação do pólen das flores. Crianças predispostas a mesma se mostram mais suscetíveis ao contágio. Esta doença crônicas causa espirros, crises de coriza aquosa, falta de ar e da inflamação das vias nasais, além da obstrução das mesmas, afetando as mucosas nasais.

A rinite comum tem sintomas oculares associados aos nasais tais como olhos vermelhos e lacrimejantes e coceira intensa. As crianças devem ser afastadas dos alérgenos e dos agentes que aumentam as chances de se ter as crises. Segundo recomendações, deve-se manter a casa arejada, sem umidade ou vazamentos, evitar poeira acumulada, entre outras ações que visam manter o ambiente limpo, sem a presença de agentes nocivos. E, para auxiliar nas crises de falta de ar, você pode contar com os nebulizadores e inaladores da G-tech, não esqueça.

Asma

A asma ocorre em função da inflamação crônica das vias aéreas. Ela pode ser revertida espontaneamente ou através de tratamento. Nas crises de asma, os pacientes sofrem com a redução da passagem de ar devido a inflamação dos brônquios. Isto causa tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito.

A principal razão para a dificuldade em respirar se dá devido a exposição aos gatilhos que favorecem a ocorrência da asma. Nessa situação, o organismo contrai a musculatura em volta dos brônquios e com isso a passagem do ar se reduz. Dentre os gatilhos podemos citar: Ácaro, poeira, pólen, baratas, fumaça de cigarro, ar frio ou seco, poluição entre outros.

Conjuntivite

A conjuntivite alérgica se dá como o resultado da reação do sistema imunológico a presença de algum corpo estranho onde para se defender o organismo produz uma reação inflamatória exagerada. A poeira e a presença de animais domésticos como cães, gatos e as baratas são as principais causas para o surgimento da mesma.

Os ácaros também são causadores desta doença, juntamente ao pólen das flores. Sua característica principal se dá quando a membrana delicada cobre o olho e o interior da pálpebra. Causa coceira, queimação, inchaço e faz os olhos lacrimejarem constantemente, prejudicando a visão. O pediatra recomendará ao paciente o tratamento a base de colírios e que se evite coçar a região inflamada.

Roséola

Outra doença que atinge os pequenos é a Roséola. Esta enfermidade ocorre principalmente na primavera sendo transmitida a partir do contato com secreções respiratórias e é causada pelo herpesvírus tipo 6 que é muito contagioso. Ela leva de sete a quinze dias para se manifestar e sua presença se demonstra a partir de febre alta, perda do apetite e irritabilidade. A criança irá chorar mais e constantemente estará “bravo”, irritadiço. Após três dias com febre constante percebe-se o exantema, que nada mais é do que uma erupção cutânea avermelhada que se espalha pelo corpo.

Para tratar a roséola, o seu pediatra indicará antitérmicos pois infelizmente não há vacinas contra a doença. Sua transmissão pode ser evitada não deixando a criança doente entrar em contato com outras.

Catapora

Por fim, temos uma velha conhecida dos pais: a catapora. Também chamada de varicela, é muito comum na primavera. Esta infecção viral se dá pelo surgimento de erupções cutâneas que evoluem rapidamente. A criança infectada apresenta febre moderada, mal estar, bastante cansaço, dores de cabeça e não consegue se alimentar direito. O tratamento da catapora é realizado com o uso de antitérmicos e analgésicos que auxiliam a controlar os sintomas.

Já a coceira, outro sintoma característico pode ser aliviada ao se fazer compressas de água fria. Para higienizar a pele do paciente – o que deve ser feito com muito cuidado – deve-se utilizar água e sabão. Principalmente, evite coçar as erupções e não retire as crostas que se formarem. Para prevenir, vacine seus filhos. A vacina é a única forma de prevenção e é totalmente eficaz contra a catapora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *